/ Foto: Bruna Rodovalho/TV Jornal

Os rubro-negros José Henrique e Pedro Campos, dois dos cinco filhos de Eduardo Campos, marcaram presença na Arena Pernambuco para assistir à partida do Sport contra o Palmeiras, pela Série A do Campeonato Brasileiro.

Quando a imagem dos garotos de 9 e 18 anos de idade, respectivamente, apareceu no telão do estádio, o público entoou o nome de Eduardo, alvirrubro declarado. Morto num acidente aéreo há uma semana, Eduardo Campos segue sendo alvo de homenagens por parte de todos os segmentos, partidos e torcidas.(Cláudia Ferreira/DP)

 

Aécio Neves, Dilma Rousseff e Marina Silva | Crédito: Agências (AP, AFP e Reuters)

Na arena de batalha das campanhas eleitorais, os marqueteiros dirão que nem sempre a melhor defesa é o ataque. Cada vez mais, também é importante blindar os pontos fracos dos candidatos.

No dia da oficialização da candidatura de Marina Silva à Presidência pelo PSB, em substituição a Eduardo Campos, que morreu em um acidente aéreo na semana passada, a BBC Brasil ouviu especialistas para apontar as maiores fraquezas dos três presidenciáveis mais bem colocados pelas pesquisas de intenção de votos – e o impacto que elas podem ter nas urnas. Confira.

Dilma Rousseff

Idade: 66 anos

Formação: Economista

Partido: PT (Partido dos Trabalhadores)

Cargos ocupados: presidente (atual); ministra da Casa Civil, ministra de Minas e Energia

Candidata à reeleição, Dilma Rousseff tenta sobrepor uma imagem de gestora eficiente à dos escândalos de corrupção que acometeram os últimos 12 anos do governo Partido dos Trabalhadores (PT).

Para o cientista político Ricardo Ismael, da PUC-Rio, Dilma apresenta "cansaço eleitoral" e seu maior desafio é propor uma "mudança, mas com continuidade".

"Os desgastes relacionados ao tempo em que seu partido está no poder constituem, sem sombra de dúvida, um ponto fraco na candidatura de Dilma", concorda Antonio Carlos Mazzeo, cientista político da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Marília.

O cientista político e sociólogo Paulo Baía, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), acredita que Dilma tem pouca empatia junto a uma classe média urbana que cobra "essência das instituições" e cujas insatisfações não foram "correspondidas".

"Os escândalos ocorridos durante o governo PT 'colaram' na imagem da candidata. É difícil para ela se desvencilhar disso", diz.

Fora do plano político, a economia é outro ponto que especialistas classificam como um dos pontos fracos na plataforma de Dilma.

"A economia não tem tido o mesmo desempenho do que na época de Lula e a inflação começa a pesar mais fortemente no bolso dos consumidores, sobretudo os mais pobres", diz Ismael, da PUC-Rio.

Os especialistas ressaltam, contudo, que Dilma ainda tem grande capital eleitoral em regiões mais pobres do Brasil devido às políticas de transferência de renda implementadas durante o governo petista, como o Bolsa Família.

Além disso, tem a seu favor bons índices de aprovação. Segundo última pesquisa do Datafolha, 38% dos brasileiros avaliam o governo de Dilma como "bom" ou "ótimo".

Aécio Neves

Idade: 54 anos

Formação: Economista

Partido: PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira)

Cargos ocupados: senador (atual), governador de Minas Gerais, deputado federal

Principal adversário de Dilma na corrida presidencial, o ex-governador de Minas Gerais e candidato do PSDB à Presidência ainda tem dificuldades de se firmar como uma alternativa à candidata do PT.

Para Mazzeo, da Unesp de Marília, "as recentes denúncias envolvendo Aécio Neves tiveram um impacto fortemente negativo na campanha do tucano, uma vez que minaram o 'projeto moralizante' que ele propunha para o Brasil, em relação a Dilma".

Em julho, o jornal Folha de São Paulo publicou reportagem mostrando que o governo de Minas construiu um aeroporto em um terreno pertencente ao tio de Aécio.

Mazzeo acrescenta que, além de faltar "carisma" ao candidato do PSDB, o próprio partido sofre de um problema "estrutural": "O PSDB não apresenta nenhuma proposta econômica profundamente diferente da do PT", diz o cientista político.

Para Ismael, da PUC-Rio, o principal ponto fraco do tucano é "sua dificuldade de falar com eleitores mais pobres, especialmente os do Nordeste".

"O maior desafio de Aécio é tentar mostrar que suas propostas para estimular o crescimento da economia não vão sacrificar as conquistas sociais obtidas ao longo do governo petista", argumenta.

Já para Baía, da UFRJ, o tucano, apesar de ter sido governador de Minas Gerais durante oito anos, não "é um líder nacional testado".

"Aécio ainda não conseguiu obter projeção nacional a partir de seus feitos como líder mineiro", avalia.

Segundo Baía, essa lacuna é observada inclusive em São Paulo, tradicional celeiro da política tucana.

"Aécio precisou escolher um vice-presidente de São Paulo (Aloysio Nunes) para tentar ganhar eleitores no estado mais rico do Brasil e tradicionalmente simpático ao projeto político do PSDB", acrescenta.

Marina Silva

Idade: 56 anos

Formação: Historiadora

Partido: PSB (Partido Socialista Brasileiro)

Cargos ocupados: senadora, ministra do Meio Ambiente, deputada estadual, vereadora

Despontando nas pesquisas de intenção de voto desde a morte do então candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, Marina Silva enfrenta o desafio de unir as fileiras do partido em torno de sua candidatura, de acordo com os especialistas.

Para Mazzeo, da Unesp de Marília, a candidata do PSB não "tem o apoio de todo o partido".

"Marina não pertence à estrutura do PSB e só foi lançada candidata por causa de uma costura feita pelo grupo hegemônico da legenda. O nome dela nunca foi consenso e isso pode lhe causar problemas", acredita.

Outro ponto fraco da candidata, dizem eles, está na falta de uma plataforma ampla e clara que mostre sua visão sobre os vários problemas do país.

Na avaliação de Ismael, da PUC-Rio, "Marina precisa mostrar aos eleitores que tem um programa de governo que não se restringe à questão ambiental".

"Ela capitaliza um eleitorado de maior renda e escolaridade que já está cansado da alternância no poder do PT e do PSDB. Mas ainda mantém uma visão muito monotemática. Ela não é mais uma candidata do Partido Verde (PV) à Presidência, mas sim de uma coligação", afirma o cientista político.

Ismael lembra, contudo, que a escolha de nomes como o dos economistas André Lara Resende (um dos pais do real) e Eduardo Giannetti para compor a equipe econômica da candidata agradam ao mercado e beneficiam sua proposta política.

Para Baía, da UFRJ, a fraqueza de Marina seria "a falta de experiência como gestora".

"Marina é um nome conhecido por todo o país desde as eleições de 2010. Já foi senadora e ministra. Mas lhe falta no currículo uma experiência direta com o povo", argumenta.

Baía não acredita, no entanto, que a aproximação de Marina com alas religiosas mais conservadoras possa interferir negativamente em sua candidatura.

"Não acho que o fato de ela ser evangélica tenha influenciado em suas decisões como senadora ou ministra. Além disso, as demais candidaturas têm os mesmos compromissos religiosos que ela", conclui. (Luís Guilherme Barrucho/BBC Brasil)

 

Após reunir a Executiva Nacional do partido em Brasília, o PSB anunciou na noite desta quarta-feira (20) a ex-senadora Marina Silva como candidata a presidente da República na disputa eleitoral deste ano e o deputado federal Beto Albuquerque (PSB-RS) como vice na chapa.

O anúncio foi feito após a reunião, na sede do partido, em Brasília. Segundo Beto Albuquerque, a chapa recebeu aprovação unânime da executiva.  Com a decisão, a legenda tem até o próximo sábado (23) para registrar a nova chapa junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A mudança na cabeça de chapa é anunciada uma semana depois da morte do candidato Eduardo Campos em um acidente aéreo, em Santos (SP) – Marina Silva era a candidata a vice. Além do ex-governador de Pernambuco, morreram outras seis pessoas, dos quais dois pilotos e quatro assessores de campanha.

Ao chegar à sede do PSB, por volta das 20h, Marina Silva afirmou que “deve” ao partido responsabilidades em razão do compromisso assumido no ano passado ao formar a chapa com Eduardo Campos.

'Aqui há um compromisso com as responsabilidades já assumidas, construídas ombro a ombro, noite e madrugadas adentro sob a liderança de Eduardo. Recebi de uma forma muito afetuosa uma carta que eu chamo de carta-inventário, onde o presidente Roberto Amaral me diz qual é o significado da luta, da trajetória desse partido e que agora juntos temos a responsabilidade de ajuda-lo a se erguer após a perda irreparável que sofreu', declarou.

Albuquerque disse que ele e Marina não deixarão 'pela metade' a herança política de Eduardo Campos. 'Estou aqui para fazer o que o Eduardo me disse ao longo desses 20 anos. Ele que dizia que nunca podemos deixar nada pela metade. Eu e Marina estamos aqui porque não vamos deixar pela metade o legado de Eduardo', afirmou. (Priscilla Mendes e Filipe Matoso Do G1, em Brasília)

 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) convocou nesta quarta-feira (20) 151 médicos plantonistas que vão reforçar a rede estadual de saúde em 17 unidades da Região Metropolitana do Recife (RMR) e Interior até 1° de outubro. A nomeação visa preencher cargos já existentes, que estão vagos devido a exonerações, aposentadorias ou falecimento dos profissionais.

Os hospitais contemplados são a Restauração (28 vagas), Barão de Lucena (42), Getúlio Vargas (19), Otávio de Freitas (16), Agamenon Magalhães(16) e Correia Picanço (3); Ulysses Pernambucano (1); Hemope (9), Jaboatão-Prazeres (2), Alcides Codeceira (1), em Igarassu; Vicentes Gomes de Matos (2), em Barreiros; Sanatório Padre Antônio Manuel (1), em Paulista; Belarmino Correia (1), em Goiana; Dom Moura (1), em Garanhuns; Ruy de Barros Correia (5), em Arcoverde; Inácio de Sá (2), em Salgueiro; Professor Agamenon Magalhães (2), em Serra Talhada.

Do total, 146 profissionais estavam no banco de espera do concurso publico de 2013 da SES e cinco foram aprovados no concurso público de 2013 do Hemope. O salário inicial dos convocados é de R$ 7.514,74.

Apesar da convocação, ainda restam 58 vagas a serem preenchidas. O Regional do Agreste, no município de Caruaru, conta com 14 carências, nos cargos de obstetra, intensivista pediátrico, neurocirurgião e cirurgião geral. Por ser ano eleitoral, a SES pode realizar novo concurso, mas só pode fazer o chamamento dos já vigentes.

Desde o concurso da SES de 2009 foram nomeados 1.377 médicos. A última convocação havia ocorrido em dezembro de 2013. Cerca de 25% dos convocados declinam da oportunidade, portanto novas contratações ainda podem ocorrer este ano.

Confira o número de vagas por especialidade:

Cirurgião geral – 10 vagas

Traumato-ortopedia – 9 vagas

Clínica geral – 34

Neurologia – 2

Pediatria – 21

Neonatologia -10

Cirurgia vascular – 9

Intensivista pediátrico – 8

Intensivista adulto – 11

Neurocirurgia – 3

Otorrinolaringologia – 4

Pneumologia – 2

Infectologia – 4

Anatomopatologia – 4

Oncologia – 1

Psiquiatria – 3

Obstetrícia – 10

Cardiologia – 2

Hematologistas – 4

(Por Jorge Cosme/Leiajá)

 

Depois de interromper a campanha eleitoral por sete dias, em respeito à morte do ex-governador Eduardo Campos, a Frente Popular de Pernambuco retoma as atividades de rua nesta quarta-feira (20). O candidato ao Governo Paulo Câmara vai liderar uma grande caminhada pelo Centro do Recife, junto com seus companheiros de chapa majoritária – Raul Henry, que disputa a vice, e Fernando Bezerra Coelho, para o Senado.

A caminhada no Centro é uma atividade tradicional nas campanhas da Frente Popular, aproveitando o movimento do comércio para um estabelecer um contato mais próximo com a população. Será mais uma oportunidade para Paulo ouvir os eleitores e apresentar suas ideias. As homenagens a Eduardo Campos também deverão marcar o percurso dos candidatos.

Logo após, às 20h, Paulo, seus companheiros de chapa e a militância se reúnem no comitê da Frente Popular, no Parnamirim, para acompanhar a transmissão do guia eleitoral.

 

O programa de governo que a candidata a presidente da República, Marina Silva (PSB), deve apresentar ao Brasil nas próximas horas é o mesmo de Eduardo Campos, a quem ele substituiu na chapa presidencial.

Foi o que garantiu nesta quarta-feira (20) o ex-deputado Maurício Rands (PSB-PE), que é um dos seus coordenadores junto com a socióloga Neca Setúbal, filha do ex-banqueiro Olavo Setúbal.

Rands informou também que o programa terá uma “versão simplificada” com apenas 24 páginas.

Nele, está sintetizado todos os compromissos assumidos por Eduardo Campos durante os meses em que esteve candidato à sucessão da presidente Dilma Rousseff: aplicação de 10% do PIB na área de saúde, escola integral para todos os estudantes brasileiros, passe livre para todos os estudantes, redução do número de ministérios, etc.(Inaldo Sampaio)

 

No encontro que aconteceu, ontem, na sede do PSB estadual, para confirmar a indicação do deputado federal Beto Albuquerque (PSB) como vice na chapa encabeçada por Marina Silva à Presidência da República, os líderes nacionais do PSB também acertaram que o lançamento oficial da nova chapa nacional será realizada aqui no Recife, no próximo sábado ou domingo, com a presença de Marina e Beto Albuquerque. A escolha do Estado de Pernambuco é uma deferência especial a Eduardo Campos.(Por Magno Martins)

 

O advogado Antônio Ricardo Acciolly Campos, irmão do candidato do PSB Eduardo Campos – morto em acidente aéreo na quarta-feira passada em Santos –, vai entrar para a política.

Aos 46 anos, Tonca, como é conhecido, decidiu que vai deixar os bastidores da política e a área jurídica das campanhas da família para virar um dos protagonistas nas futuras disputas eleitorais em Pernambuco. "Devo entrar para a política. Não agora, não é a hora", afirmou Antônio. "Agora não vou ser candidato, minha missão neste momento é preservar o legado de Eduardo Campos e de Miguel Arraes."

Com o irmão vivo, Antônio nunca saiu candidato nem teve atuação de liderança política dentro do PSB nem na Frente Popular. Mas sempre atuou como conselheiro e advogado das campanhas. Ele é filiado ao PSB, como toda família Campos.

Próximo da viúva Renata Campos, de 47 anos, Antônio ainda vai definir se sai candidato nas eleições municipais de 2016 ou se espera 2018 para sair como deputado. Com o vácuo político deixado pelo irmão em Pernambuco, Tonca quer maior destaque no cenário local, sem prejudicar os planos da viúva – que terá papel importante na disputa presidencial – e do sobrinho mais velho, João Henrique, de 20 anos, que também se prepara para assumir o posto de herdeiro do espólio político deixado por Campos.

Antônio também vai assumir os trabalhos de representar os interesses da família na Frente Popular, em Pernambuco, que tenta eleger o candidato Paulo Câmara (PSB) a governador. Será ele um dos responsáveis por tratar com os demais partidos da coligação, 21 ao todo, incluindo antigos adversários da família que viraram aliados.

Além de advogado ligado à política de berço, Tonca é escritor e ativista cultural. Escreveu obras dos mais variados estilos. Dono de uma editora (a Carpe Diem), ele também é curador da Feira Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva virão ao estado nesta quinta-feira (21) para fazer gravações para a propaganda eleitoral. Ela desembarcará em Floresta, para Cabrobó. no Sertão, uma das cidades por onde passa a Transposição do São Francisco. De lá, eles seguem

A visita de Dilma e Lula estava agendada para o último sábado (16), mas foi adiada por causa do trágico acidente que vitimou o ex-governador Eduardo Campos.(Diário de Pernmabuco)

 

A Justiça Federal em Pernambuco condenou o ex-prefeito de Iguaraci (no sertão pernambucano), Albérico Messias da Rocha, por improbidade administrativa, conforme requereu o Ministério Público Federal (MPF) em Garanhuns em ação ajuizada pelo município de Iguaraci contra o ex-gestor. O motivo da condenação foi a não prestação de contas de convênio firmado entre o município e o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Segundo consta no processo, na gestão do ex-prefeito, entre os anos 2009 e 2012, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome repassou ao município cerca de R$ 804 mil para construção de cisternas que deveriam armazenar água da chuva. Como houve omissão na prestação de contas do convênio, o município de Iguaraci ajuizou, este ano, ação de improbidade administrativa contra o ex-prefeito e o MPF manifestou interesse em atuar conjuntamente no processo.

Na sentença, a Justiça Federal ressaltou que o ato do ex-gestor “resultou em afronta aos princípios da legalidade, moralidade, impessoalidade e publicidade, relativamente aos recursos recebidos, dos quais não se sabe a real destinação, o que apenas ocorreria com a devida prestação de contas”. O prazo final da prestação de contas foi encerrado em 30 de maio de 2012.

Albérico da Rocha foi condenado a pagar multa de três vezes o valor da sua última remuneração e terá os direitos políticos suspensos por três anos. O ex-gestor pode recorrer da decisão.(Fonte: Blog de Jamildo)

 

Associado AblogPE

Facebook

Cerâmica Pajeú

Ecosol

O.T STÚDIO

Clima Tempo