A partir desta terça-feira (21), os policiais federais do estado darão início às ações em convergência à mobilização nacional da categoria. Entre 16h e 18h, agentes federais, escrivães e papiloscopistas vão se concentrar em frente à sede da Superintendência da Polícia Federal, no Cais do Apolo, Recife, em protesto. O ato seguirá pelas ruas do Centro com panfletagem e gritos de ordem. Na quarta (22), quinta (23) e sexta (24), os profissionais paralisam os serviços.

A decisão foi tomada em assembleia da categoria, na noite desta segunda-feira (20). De acordo com presidente do Sindicato dos Policiais Federais de Pernambuco, Marcelo Pires, 30% do efetivo continuará em atividade em respeito ao previsto na legislação trabalhista. "O direito de greve consta na constituição. Vamos manter os atendimentos no aeroporto, a expedição de passaporte, as prisões em flagrante e também a condução de presos determinadas por vias judiciais", detalhou. O presidente do sindicato também esclareceu que a mobilização não inclui delegados, peritos ou servidores administrativos. "No estado, temos aproximadamente 300 agentes, escrivães e papiloscopistas, eles que fazem parte do movimento", disse.

A greve de 72 horas segue a determinação da Federação Nacional dos Policiais Federais. De acordo com a categoria, o Governo Federal não cumpriu o acordo assinado no final da greve de 2012, que previa a modernização da carreira na PF e o reconhecimento das atividades realizadas por todos servidores, ainda regidos por leis da época da ditadura militar.

Segundo a Federação Nacional, os agentes, escrivães e papiloscopistas federais são os únicos com salários congelados desde 2009 e sem atribuições definidas em lei. Ainda de acordo com a Fenapef, o estopim da insatisfação aconteceu com a recente Medida Provisória 657, que ignorou as propostas de modernização e teria beneficiado somente o cargo de delegado, criando uma espécie de concurso para chefe no serviço público federal.

O quadro é considerado caótico pelas entidades sindicais e são comprovados a cada ano, quando mais de 250 agentes federais abandonam a carreira por desmotivação e falta de reconhecimento profissional.(DP)

 

Na semana que antecede o segundo turno, a presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff, juntamente com o ex-presidente Lula, estarão participando de eventos de campanha nesta terça-feira (21) na cidade de Goiana, no início da tarde, e as 16h no Recife.

De acordo com a agenda oficial, Dilma e Lula farão uma visita à Fábrica da Fiat, entre 13h e 14h. De lá, seguirão para a Avenida Nunes Machado (Rua da Baixinha), no Centro de Goiana, onde conversarão com trabalhadores e trabalhadoras rurais e urbanos sobre a temática do Desenvolvimento Regional.

Eles deverão chegar à capital pernambucana, no meio da tarde, para participar da Caminhada Coração Valente, que tem concentração no Parque 13 de Maio, próximo à Câmara de Vereadores, às 16h. De lá. Dilma e Lula seguirão até a Pracinha do Diário, onde está previsto um Ato público.

Petrolina – Também nesta terça-feira, agricultores e agricultoras familiares de todo o Semiárido vão a Juazeiro (BA) “em defesa do projeto de convivência e para expressar as conquistas e lutas dos povos do Semiárido”, segundo nota. O ato público, que pretende reunir cerca de 30 mil pessoas vindas de Minas Gerais e dos nove estados do Nordeste, terá concentração na orla nova de Juazeiro, a partir das 7 horas.(Nill Júnior)

 

O deputado Inocêncio Oliveira que foi destituído da presidência do Partido da República (PR) em Pernambuco, recebeu a solidariedade dos companheiros de legenda nesta segunda-feira (20), no seu escritório político no bairro da Imbiribeira. O deputado sofreu uma punição da Executiva Nacional após ter declarado apoio à candidatura do tucano Aécio Neves. De acordo com a assessoria do deputado, o cacique vai brigar para retomar o comando da legenda.

“A alternativa agora é recorrer à Justiça contra a intervenção golpista ao tempo que dezenas de militantes do PR estão se desfiliando em todo o Estado, num gesto de desagravo ao principal articulador do partido em Pernambuco”, diz um dos trechos da nota.

Ainda segundo a assessoria de comunicação do deputado, Inocêncio foi o responsável direto pela instalação de mais de 150 diretórios em Pernambuco e deveria ser tratado de forma mais respeitosa.

“O secretário-geral do Partido da República, senador Antonio Carlos Rodrigues, agiu de forma sorrateira sem nenhuma consulta às bases em Pernambuco”, diz um dos trechos da nota.(Do Farol)

 

IMG_5756.JPG

O governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), reuniu-se nesta segunda-feira (20), no Recife, com o arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido e bispos de outras regiões do Estado de Pernambuco.

A reunião se realizou na sede da CNBB 2, no bairro da Boa Vista, por iniciativa do próprio arcebispo.

Também participaram do encontro o vice-governador eleito Raul Henry (PMDB), o presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, a deputada estadual (não reeleita) Terezinha Nunes (PSDB), o secretário estadual da Criança e da Juventude, Pedro Eurico (PSDB), e o ex-vereador Josenildo Sinésio (PTB).

Os bispos apresentaram ao futuro governador uma pauta de reivindicações nas áreas de saúde, educação, estradas, combate às drogas e atendimento aos dependentes químicos.(Inaldo Sampaio)

 

Os candidatos à Presidência da República Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) vão se enfrentar pela última vez na próxima sexta-feira nos estúdios da Rede Globo, no Rio de Janeiro, antes do segundo turno da eleição presidencial.

No debate de ontem à noite, na TV Record, a troca de acusações foi em tom muito mais ameno que no debate do STB na quinta-feira da semana passada.

A corrupção na Petrobras foi o tema central das discussões, que passou também por temas como segurança, saúde, inflação e distribuição de renda.

No debate de ontem, Aécio perguntou a Dilma se ainda confiava no tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, apontado como um dos operadores do esquema de corrupção da Petrobras, já que a candidata à reeleição reconheceu publicamente que houve desvios na estatal.

Dilma respondeu o seguinte: “Eu sei que há indícios de desvio de dinheiro, eu não sei quanto foi e quem foi. A parte que o senhor tinha de complementar é que eu disse que iria investigar assim que o MP (Ministério Público) e o STF (Supremo Tribunal Federal) divulgassem suas conclusões. O senhor não respondeu onde estão os corruptos dos trens e do metrô. Sou a favor da punição, doa a quem doer”.

A candidata do PT lembrou que Sérgio Guerra, ex-presidente nacional do PSDB, também teria recebido propina para esvaziar a CPI da Petrobras e disse que os tucanos engavetaram 271 processos de investigação sobre a corrupção.

Aécio replicou com essas palavras: “A senhora confia no seu tesoureiro. Fico preocupado com o cargo dele em Itaipu, onde ele tem um crachá e livre trânsito. Faltou governança no seu mandato”.

Na tréplica, Dilma disse o seguinte: “Eu não faço isso (engavetar), candidato, eu investigo. Eu não transfiro nenhum delegado”.

Aécio disse, então, que o Brasil tem instituições que investigam. Segundo ele, se não houve prisões, como no caso do mensalão petista, é porque não houve provas contra o seu partido.

Aécio novamente: “O que não pode é a senhora achar que a denúncia é verdadeira quando envolve meu partido e não quando envolve dinheiro para campanha de Gleisi Hoffmann. Faltou gestão. Isso é consequência da forma como as pessoas são nomeadas”.

 

A Pesquisa Datafolha divulgada na noite de hoje mostrou, pela primeira vez, a presidente Dilma Rousseff (PT) numericamente à frente no segundo turno. Dilma e Aécio Neves (PSDB) continuam empatados tecnicamente. Dilma registrou 46% das intenções de voto e o tucano, 43%.

Nos votos válidos, Dilma tem 52% e Aécio, 48%. Votos em branco e nulos somam 5%. Os indecisos são 6%.

Em comparação ao levantamento apresentado na semana passada, Aécio oscilou 2 pontos para baixo, passando de 45% para 43%. Dilma oscilou 3 para cima, de 43% para 46%.

Na semana passada, os eleitores que declararam voto em branco ou nulo eram 6%. Os que não tinham candidato também eram 6%. Considerando somente os votos válidos, Aécio tinha 51%, e Dilma, 49%.

O Datafolha entrevistou 4.400 pessoas nesta segunda-feira nos 26 estado e o Distrito Federal. A pesquisa, contratada pela Empresa Folha da Manhã S.A. e TV Globo, está registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-01140/2014.

 

O ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), decidiu, ontem, reduzir o tempo de propaganda eleitoral gratuita do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, e da candidata do PT, Dilma Rousseff, em punição por terem utilizado o horário eleitoral gratuito para fazer "ataques" um ao outro.

A decisão atende a uma mudança de entendimento do TSE, fixada na semana passada, em que o tribunal estabeleceu que o programa eleitoral em cadeia de rádio e TV deve ser utilizado para debater ideias e apresentar propostas.

Em liminar assinada neste domingo, Admar Gonzaga mandou cortar 2 minutos e 30 segundos no próximo bloco de inserções televisivas da coligação de Aécio Neves. De acordo com o ministro, as inserções (propagandas curtas na TV) veiculadas pela campanha do tucano no dia 18 de outubro atribuem a Dilma Rousseff a prática de "condutas ilícitas". A peça publicitária fala das denúncias de corrupção na Petrobras e questiona a conduta da presidente no episódio.

Admar Gonzaga também determinou a perda de 36 segundos, nos blocos da manhã (7h) e da tarde (12h), no próximo horário de rádio reservado a Coligação Com a Força do Povo, da candidata à reeleição Dilma Rousseff. A decisão foi motivada por uma propaganda transmitida no dia 19 de outubro que faz paródia com a música "Oh, Minas Gerais", trazendo a seguinte montagem: “Oh, Minas Gerias, oh, Minas Gerais, quem conhece Aécio não vota jamais".(Por Magno Martins)

 

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, afirmou neste domingo que a admissão da presidente Dilma Rousseff de que houve desvio de recurso na Petrobras é um avanço, ainda que tardio, mas disse que a adversária não tomou providências contra o tesoureiro do PT que seria suposto receptor de parte do dinheiro desviado.

"Eu reconheço que é um avanço, a presidente, pelo menos, admitir que isso aconteceu, talvez um pouco tarde, mas a admissão é algo positivo", disse o candidato tucano em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, onde participou neste domingo de manhã de uma caminhada pela orla de Copacabana.

"Agora, as providências, eu não vi até agora nenhuma atitude da presidente em relação àquele que é denunciado pelo delator Paulo Roberto (Costa) como receptor da parcela que caberia ao PT, que é o seu tesoureiro", acrescentou.

Um suposto esquema de corrupção na Petrobras envolvendo partidos políticos foi revelado durante a disputa eleitoral e tem sido detalhado à Justiça pelo ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa em um acordo de delação premiada.

Em depoimentos à Justiça Federal, Costa afirmou que grandes empresas fecharam contratos com a estatal por anos com sobrepreço e que a maior parte do dinheiro desviado tinha como destino partidos da base governista.

Segundo ele, o operador do PT no esquema era o tesoureiro da legenda, João Vaccari.

Dilma, candidata à reeleição pelo PT, reconheceu no sábado, pela primeira vez, que houve desvio de recursos na estatal e disse que pedirá ressarcimento desse dinheiro, mas que isso não está ao alcance do governo no momento. [L2N0SD0UZ]

A uma semana do segundo turno da eleição, Aécio e Dilma vão estar frente à frente na noite deste domingo em mais um debate eleitoral na televisão. Os dois travaram na quinta-feira o debate mais agressivo da campanha até o momento, com ataques generalizados de ambos os lados, deixando as propostas de governo em segundo plano.

O candidato tucano fez um "convite" a Dilma para que ambos possam debater propostas e deixar as ofensas de lado. "Que nós possamos debater propostas, falar do futuro do Brasil, permitir aos brasileiros que possam conhecer de forma mais clara e mais profunda aquilo que nos separa", disse.

Aécio escolheu o Rio para iniciar sua última semana de campanha ao lado de diversos aliados em busca de votos em um Estado onde ficou em terceiro lugar no primeiro turno, atrás de Dilma e de sua agora aliada Marina Silva (PSB), terceira colocada na votação nacional de 5 de outubro.

O senador eleito por São Paulo José Serra (PSDB), o presidente do PPS, Roberto Freire, e o candidato a vice-governador de Luiz Fernando Pezão (PMDB) no Rio, Francisco Dornelles, foram algumas das figuras políticas ao lado de Aécio no evento, que também contou com a presença do ex-jogador Ronaldo.

Uma multidão lotou a orla de Copacabana com bandeiras de Aécio e do Brasil, em um domingo de sol em que os apoiadores do candidato se misturaram a turistas e moradores que aproveitavam a manhã na praia. Aécio percorreu um trecho de cerca de 1,5 quilômetro em cima de um carro aberto e depois seguiu viagem para São Paulo, onde participará do debate.(Edição de Bruno Marfinati/Google Notícias)

 

Na noite deste domingo, os brasileiros terão mais uma oportunidade de comparar as propostas dos candidatos à Presidência, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), que disputa a reeleição. A partir das 21h15 (horário de Pernambuco), a TV Clube/Record transmite o terceiro debate entre os presidenciáveis neste segundo turno. O formato do programa foi planejado de forma que os dois tenham o maior tempo possível para expor suas ideias.

O formato do programa terá quatro blocos, todos com confronto direto. Não haverá sorteio de perguntas ou perguntas realizadas por jornalistas. Ao todo, cada candidato fará sete perguntas para o adversário, sendo quatro no primeiro bloco, dois no segundo e uma no terceiro. O quarto bloco será reservado para as considerações finais de cada um.

Os postulantes terão 45 segundos para fazer os questionamentos. A resposta deve ser dada em até dois minutos. O tempo máximo para a réplica e a tréplica será de um minuto. Já nas considerações finais, Dilma e Aécio terão dois minutos para passarem suas mensagens aos eleitores. No estúdio, estarão presentes, além dos candidatos, os jornalistas da TV Clube/Record, Adriana Araújo e Celso Freitas, que mediarão o confronto. Cada equipe de campanha poderá levar 40 representantes.

Diante de um cenário eleitoral apertado, com Aécio numericamente à frente de Dilma, mas tecnicamente empatados segundo as últimas pesquisas divulgadas, os debates são oportunidades para os adversários conquistarem os eleitores que ainda estão indecisos. De acordo com o cientista político da Universidade de Brasília (UNB), Leonardo Barreto, o eleitorado que pode mudar de voto pode ser muito maior que os levantamentos apresentam.(Do Correio Braziliense/Farol)

 

A Confederação Nacional do Transporte divulgará na próxima segunda-feira, dia 20, às 11h, pela internet (www.cnt.org.br), o resultado da mais recente pesquisa CNT/MDA sobre a intenção de voto dos brasileiros para presidente da República.

A pesquisa vai mostrar o cenário do 2º turno da eleição presidencial, que está sendo disputado por Dilma Rousseff (PT) e pelo senador Aécio Neves (PSDB).

As entrevistas serão feitas nesta final de semana em 137 municípios de 25 estados da federação.

Também estão com pesquisadores em campo o Ibope, Datafolha, Vox Populi e Sensus.

 

Associado AblogPE

Facebook

Cerâmica Pajeú

Ecosol

O.T STÚDIO

Clima Tempo