Página Inicial >> Notícias >> Wesley Safadão e esposa são indiciados por vacinação irregular

Wesley Safadão e esposa são indiciados por vacinação irregular

Safadão, sua esposa e uma assessora do cantor podem pegar 13 anos de prisão.

Nesta quarta-feira (29), a Polícia Civil do Ceará indiciou o cantor Wesley Safadão, sua esposa Thyane Dantas e mais seis pessoas pelos crimes de peculato e por infração a determinação do poder público, cujas penas somadas podem chegar a treze anos de prisão.

O inquérito da polícia investigava a vacinação irregular dessas pessoas em um shopping no bairro do Jóquei Club, em Fortaleza, Ceará, no dia oito de julho deste ano. Na época, o calendário municipal de vacinação da cidade previa a aplicação da vacina contra a Covid-19 apenas em pessoas com 32 anos ou mais – Thyane tinha 30 anos e não poderia ser vacinada.

Já Wesley e a sua assessora, que foi indiciada apenas por infração de medida sanitária, estavam agendados para receberem a imunização no mesmo dia, no Centro de Eventos do Ceará, mas foram para outro posto de vacinação em um shopping. A polícia investiga se eles procuraram outro local a fim de escolher o tipo da vacina que estava sendo aplicada.

As investigações indicaram que três servidores públicos da Secretaria de Saúde de Fortaleza foram os responsáveis pela vacinação de Thyane, Wesley e da assessora de Safadão, contando ainda com o apoio e as participações de outras duas pessoas que não atuavam na administração pública.

A Polícia Civil afirma que os servidores agiram de maneira voluntária e deliberada, sem qualquer autorização ou conivência da Secretaria de Saúde municipal.

O delegado responsável pelas investigações aponta que a vacinação de Wesley e das mulheres decorreu de um ajuste prévio entre eles e de uma pessoa próxima do cantor que possuía contato com os três servidores públicos. Por isso, a polícia descartou a hipótese de coincidência ou falha do sistema.

Ainda não existem provas de que houve alguma vantagem financeira entre as partes envolvidas. O inquérito policial foi enviado ao Poder Judiciário nesta quarta (29), onde segue para apreciação.

Do LeiaJá

Compartilhar nas redes