Pernambuco terá ‘Dia C’ para acelerar vacinação de crianças contra Covid-19

Com uma a cada quatro crianças vacinadas com a primeira dose da vacina contra a Covid-19, Pernambuco terá, na próxima semana, mobilizações em conjunto entre o Estado e os municípios para acelerar a proteção da população de 5 a 11 anos. A ação deve incluir diversos locais de circulação dos menores, especialmente as escolas, e culminará com um “Dia C”, em 26 de fevereiro.

A informação foi repassada pelo secretário estadual de Saúde, André Longo, em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (17). Os atuais números indicam que 300.979 crianças de 5 a 11 anos receberam a primeira dose no Estado, o que representa uma cobertura de 25,45%.

André Longo classificou a atual cobertura vacinal na faixa pediátrica como baixa, o que representa um risco para a sociedade. “Para proteger nossos pequenos, pactuamos com os municípios uma grande mobilização para tentar acelerar a imunizaçã”, disse.

A superintendente de Imunizações de Pernambuco, Ana Catarina de Melo, informou que o Estado deve receber, nesta sexta-feira (18), cerca de 227 mil doses pediátricas da Pfizer e da CoronaVac. Até o momento, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) já distribuiu 640.380 doses de vacinas contra a Covid-19.

“Os municípios precisam, nesta semana que antecede [a mobilização] se organizar para realizar vacinação nas escolas e áreas de difícil acesso”, disse. Ana acrescentou que a avaliação do Estado é que a campanha pediátrica, um mês após seu início, é lenta.

As melhores coberturas de vacinação infantil, segundo a superintendente, estão no Sertão do Estado. A maior taxa é na VII Gerência Regional de Saúde (Geres), com sede em Salgueiro: 46%.

“A vacinação das crianças é um ponto chave para diminuir a circulação viral. Apesar de menos frequente, as crianças podem desenvolver complicações e morrer de Covid. As vacinas não são experimentais, foram aprovadas e são seguras”, completou Ana Catarina.

Um levantamento realizado pelo Instituto de Avaliação de Tecnologia em Saúde (IATS) apontou que, se o Brasil estivesse vacinando as crianças num ritmo ideal, de cerca de 1 milhão de doses aplicadas por dia, poderia se evitar, até abril, 5,4 mil hospitalizações e 430 óbitos pela Covid-19 na faixa etária de 5 a 11 anos. Já quando se avalia todas as faixas etárias, a vacinação mais rápida poderá impedir, neste mesmo período, ao menos 14 mil hospitalizações e mais de 3 mil óbitos pela doença.

FolhadePE

Compartilhar nas Redes