Página Inicial >> ASSESSORIA DE IMPRENSA >> POLÍTICA >> Flores: Onofre cobra transparência da gestão Marconi Santana no combate à Covid-19: “Tem muito é propaganda”

Flores: Onofre cobra transparência da gestão Marconi Santana no combate à Covid-19: “Tem muito é propaganda”

Por Juliana Lima

O vereador e pré-candidato da oposição à Prefeitura de Flores, Onofre de Souza (PT) foi o entrevistado desta quarta-feira (03/06) da Rádio Serra FM 87,9, de Serra Talhada, no Sertão do Pajeú.

Falando aos comunicadores Juliana Lima e Joãozinho Teles, o vereador fez uma avaliação da crise da Covid-19, ressaltou a importância das barreiras sanitárias e do trabalho dos profissionais que vêm atuando no município, mas questionou a forma como o governo do prefeito Marconi Santana vem conduzindo o processo de enfrentamento à pandemia.

Segundo ele, “falta transparência e sobra propaganda na gestão municipal”, se referindo ao fato da Secretaria de Saúde do município ter demorado em informar à população que já havia um caso confirmado de Covid na cidade. “Transparência do município de Flores não é o forte desse governo. Como é que acontece uma situação dessa? Um caso que aparece curado vinte dias depois. Temos cobrado posicionamento firme da Secretaria de Saúde sobretudo e inclusive do gestor, para que nos deem uma explicação plausível”, afirmou.

Sobre o trabalho do Legislativo, informou que não está havendo sessões presenciais por causa do isolamento social e que a Mesa Diretora ainda não providenciou uma plataforma para sessões virtuais. Criticou também a postura da bancada de situação que votou contra o projeto de lei apresentado por ele que garantia isenção do pagamento da taxa de iluminação pública para os contribuintes da zona rural.

Segundo ele, o projeto passou cerca de seis meses engavetado e só foi colocado em votação pela Mesa Diretora durante o período de pandemia, sendo rejeitado por 7 votos a 4. “Na zona rural todo mundo sabe que não existe iluminação pública, e esse projeto foi rejeitado por unanimidade pela bancada de situação. Eu queria que alguém deles tivesse ombridade para usar as redes sociais de forma correta e vir dizer porque votou contra. […] Para votar a favor e majorar salário de secretário e procurador jurídico votam a favor, agora quando é pra votar a favor de um projeto que vem beneficiar uma comunidade todinha, sobretudo o homem e a mulher do campo votam contra. Mas eu acho que as pessoas de Flores não são bobas”, disparou.

Compartilhar nas redes