Eventual desistência de Raquel Lyra pode ser a favor de Anderson Ferreira

Nos últimos dias há a crescente tese de que não há espaço para três candidaturas no campo da centro-direita, onde todos poderiam sair prejudicados no processo eleitoral fortalecendo a polarização entre dois candidatos de esquerda, Danilo Cabral e Marília Arraes.

Ex-senador e virtual nome para compor com Raquel Lyra em sua chapa majoritária, Armando Monteiro teria declinado de ser candidato e comunicado a decisão a Raquel, enquanto Priscila Krause estaria avaliando se vale a pena permanecer no páreo como pré-candidata a vice-governadora. Com isso, Raquel estaria sendo incentivada a desistir, uma vez que seu favoritismo em outrora foi atingido em cheio pela entrada de Marília Arraes no páreo.

Entendimento com Miguel Coelho (União Brasil) para disputar o Senado é algo que nas hostes tucanas não é uma opção para Raquel, que a essa altura do campeonato entraria igualmente numa bola dividida para a Câmara Alta, o que ajudaria na possibilidade de retomar o entendimento do grupo composto pelo PL, PSDB e Cidadania, quando Anderson e Raquel percorreram Pernambuco na pré-campanha através do movimento Levanta Pernambuco.

O PSDB indicaria o vice de Anderson, que seria o ex-deputado federal Guilherme Coelho, e Raquel Lyra disputaria um mandato na Câmara dos Deputados, onde teria uma eleição encaminhada pelo recall da pré-campanha e poderia ajudar o partido a eleger pelo menos dois deputados federais: a própria Raquel e Daniel Coelho. Essa equação não é algo definitivo, porém os interlocutores de Anderson e Raquel estariam considerando a hipótese com o objetivo de garantir um nome da centro-direita no segundo turno, haja vista que o palanque de Anderson caminharia mais ao centro com a adesão de Raquel, Priscila e Daniel.

Por Edmar Lyra

Compartilhar nas Redes