Página Inicial >> ASSESSORIA DE IMPRENSA >> POLÍTICA >> Bolsonaro mente na ONU sobre auxílio emergencial de US$ 800

Bolsonaro mente na ONU sobre auxílio emergencial de US$ 800

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) discursou nesta terça-feira (21) na 76ª sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo o chefe do Executivo, o auxílio emergencial pago foi de US$ 274 a mais do que o real valor pago pelo governo às famílias de baixa renda.

“No Brasil, para atender aqueles mais humildes, obrigados a ficarem em casa por decisão de governadores e prefeitos, que perderam sua renda, concedemos um auxílio emergencial de US$ 800 para 68 milhões de pessoas em 2020”, disse Bolsonaro na ONU.

O pagamento do auxílio emergencial começou a ser feito em abril de 2020 para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de Covid-19. O valor inicial propsto pelo governo federal seria de R$ 2000. Mas após pressão da oposição, as três primeiras parcelas foram de R$ 600, beneficiando mais de 66 milhões de pessoas, segundo o Ministério da Cidadania.

As outras quatro parcelas seguintes foram reduzidas. O valor médio foi de R$ 250, com exceção das mulheres chefes de família monoparental (criam os filhos sozinhas), que recebem R$ 375, e os indivíduos que moram sozinhos (família unipessoal), que recebem R$ 150.

No discurso da ONU, Bolsonaro afirmou que foi pago auxílio de US$ 800, valor acima do que foi distribuído. Se considerar que atualmente o dólar vale R$ 5,32, os três cenários das quatro últimas parcelas ficam abaixo do divulgado pelo presidente aos demais líderes mundiais.

Somando as três primeiras parcelas, o valor é de R$ 1.800. Considerando o valor médio de R$ 250 nas quatro últimas, o total chega a R$ 2.800, que corresponde a US$ 526. Isso representa US$ 274 a menos do que o valor anunciado pelo presidente.

Caso seja feita avaliação com o valor recebido pelas mulheres chefes de família monoparental, a soma resulta em um valor US$ 620, ou seja, US$ 180 a menos. Por fim, considerando os indivíduos que moram sozinhos, o valor anunciado pelo presidente foi de US$ 349 a menos do que a realidade. 

(Estado de Minas)

Compartilhar nas redes